Marketing jurídico: entenda sua importância para o setor judiciário

Marketing é uma estratégia com o objetivo de comunicar, dar publicidade ou ofertar produto ou serviço. Essa pode parecer uma área restrita a setor de comunicação, mas ela deve estar presente em todos o segmentos para alcançar o sucesso. Na área do Direito, suas aplicações compõem o marketing jurídico.

O marketing jurídico é permitido pela Ordem de Advogados do Brasil (OAB), portanto, é regulamentado e pode trazer ótimas oportunidades para o escritório de advocacia. No entanto, é preciso utilizá-lo de maneira consciente e cuidadosa, respeitando as regras.

Quer mais detalhes sobre o assunto? Acompanhe este texto e perceba o que é marketing jurídico, qual a sua importância, como pode ser divulgado e como ele pode ser implementado.

O que é marketing jurídico?

O marketing é toda estratégia que tem como objetivo obter lucro a partir da divulgação e publicidade de produtos e serviços. Para que essa estratégia dê certo, precisa estar baseada nas necessidades e desejos do público-alvo.

O marketing jurídico é, portanto, um conjunto de estratégias que advogados e escritórios de advocacia podem utilizar para ganhar visibilidade perante seus públicos. Também é uma maneira de publicizar os seus serviços e conquistar cada vez mais espaço no mercado.

Qual a importância do marketing jurídico?

Para ser bem-sucedido financeiramente, o escritório de advocacia precisa conquistar clientes, ter visibilidade no mercado e ser reconhecido pelos seus pares e pela sociedade. O marketing jurídico possibilita alcançar esses objetivos.

Por meio de conteúdos publicitários, é possível dar notoriedade ao nome e ao trabalho desenvolvido no escritório de advocacia. Dessa maneira, o marketing jurídico possibilita que o escritório se torne competitivo, obtenha mais renda e permita que os profissionais envolvidos consigam se tornar autoridades no meio jurídico.

Como advogado pode divulgar seu trabalho?

A mídia, em geral, é um ótimo espaço para o advogado e seu escritório de advocacia ganharem notoriedade. Nesse sentido, estar nas notícias do dia a dia, apresentar artigos de opinião e anunciar em revistas especializadas em Direito são oportunidades para marketing jurídico do escritório de advocacia.

Essa é uma abordagem da mídia tradicional, mas também é possível buscar oportunidades na internet. A web se tornou um grande aliada das empresas em todos os ramos que desejam alcançar um público maior, oferecendo seus produtos e serviços. Para os escritórios de advocacia, a história não é diferente.

Conforme sinaliza o Código de Ética da OAB, o advogado pode ter um site próprio e atuar nas redes sociais, o que possibilita a formação de uma planejamento de marketing jurídico bastante sólido e que alcance públicos de interesse do escritório. Sem contar que essa empresa ganha maior destaque tendo presença online.

O que pode ser feito e o que deve ser evitado no marketing jurídico?

A atuação do marketing jurídico é bastante ampla. No entanto, é preciso compreender que a Ordem dos Advogados do Brasil mantém restrições quanto a essa estratégia. Vamos conhecer, a seguir, o que foi aprovado e o que é reprovado quando se fala em marketing jurídico, do ponto de vista da lei.

Atividades permitidas

A OAB listou, em seu provimento 94/2000, orientações sobre os atos permitidos de marketing jurídico. Alguns deles dizem que o advogado pode veicular anúncio, desde que contenha o nome e o registro na OAB. Também é permitido ter site e veicular anúncios na internet. Outras concessões são:

  • usar logotipos, mas devem ser compatíveis com a sobriedade da advocacia;
  • veicular em espaços publicitários em página de revista jurídica na internet;
  • mencionar a especialidade do escritório ou advogado em anúncio;
  • divulgar eventos que o advogado ou escritório estão participando;
  • veicular anúncios de serviço de apoio advogados em revistas e jornais.

O que não pode ser feito no marketing jurídico

Existem algumas limitações para o marketing jurídico. Por exemplo, não é permitido fazer anúncio em catálogos empresariais ou profissionais diferentes do Direito. Também não pode ter publicidade veiculada na rádio ou na televisão. Outras proibições são:

  • adotar cores extravagantes na logomarca de identificação do escritório;
  • não permitir a identificação do profissional responsável pelo serviço mal-prestado;
  • exibir publicidade em locais de utilidade pública;
  • divulgar preços do serviço.

Como implementar marketing jurídico?

Agora que já vimos do que se trata o marketing jurídico a sua relevância, e o que o Código de Ética da Ordem dos Advogados do Brasil permite, chegou o momento de conhecer os passos para criar uma estratégia de sucesso. Vejamos, a seguir.

Defina seu público-alvo

A definição do público-alvo é uma das etapas mais fundamentais para qualquer planejamento de marketing. Nesse sentido, é preciso que o escritório de advocacia verifique qual é o público de interesse para captação.

É importante levantar informações como condição econômica, gênero, faixa etária, local onde mora, entre outros fatores. Quanto mais bem definidas as características do público-alvo, melhor será a estratégia de marketing jurídico. Por exemplo, será possível escolher quais os canais utilizados para se comunicar com os possíveis clientes e também o tipo de conteúdo a ser utilizado.

Crie metas

As metas são fundamentais para garantir o crescimento, o desenvolvimento e o alcance das estratégias de marketing jurídico. É possível encontrar várias ferramentas que ajudam a medir o alcance das publicações caracterizando o desempenho daquele conteúdo.

Sendo assim, é preciso definir metas tanto em relação à quantidade de publicações a serem feitas quanto pelo alcance de público. Assim, será possível avançar ainda mais nessa estratégia.

Elabore conteúdo de qualidade

Escritórios de advocacia que desejam investir em marketing jurídico devem considerar os conteúdos que agregam valor ao seu público-alvo. É fundamental que o escritório de advocacia produza conteúdo que, ao mesmo tempo, seja compatível com público-alvo e também interessante para outras pessoas. Assim, abre muita mais portas para a chegada de clientes em potencial.

Essas foram as informações sobre marketing jurídico. É importante destacar que, na era da transformação digital, para aumentar o alcance dos serviços disponibilizados, o marketing jurídico oferece varias ferramentas essenciais para auxiliar nessa missão.

Como seu escritório tem lidado com a tecnologia? Deixe seu comentário neste post.

Marketing jurídico: entenda sua importância para o setor judiciário
Compartilhe isso